skip to Main Content

Como lidar com a ansiedade

O QUE É ANSIEDADE?

ansiedade é uma reação normal do ser humano diante de situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa.

TODA ANSIEDADE É RUIM?

Conforme explicado anteriormente nem toda ansiedade é ruim, ela é natural ao organismo ao provocar medo, gerando prudência, dúvida, levando à avaliação da situação, ou expectativa gerando projeção de momento.

QUANDO ELA É NORMAL?

Quando ela não interfere nas suas atividades normais ou responsabilidades negativamente, quando você consegue controlar suas preocupações e essas são realistas, em pequena quantidade e duração.

QUANDO É UM PROBLEMA?

Quando deixa de ser passageira e pontual, com função no manejo e resolução de problemas. Nesse caso ocorre uma preocupação intensa, excessiva, persistente e medo de situações cotidianas e comuns. Podendo ocorrer frequência cardíaca elevada, respiração rápida, sudorese e sensação de cansaço.

TODO ANSIOSO TEM UM TRANSTORNO?

Não. Primeiro temos que entender que transtorno pode ser entendido como um estado alterado da saúde normal e nem sempre está vinculado à uma doença. É uma forma diferente do seu corpo funcionar, fora do comum.

Você pode ter uma crise de ansiedade por estar passando por uma situação de estresse intenso, por um momento em que se apresente um problema de grande repercussão em que você não saiba como reagir, sem necessariamente ter um transtorno de ansiedade.

O QUE É UM TRANSTORNO DE ANSIEDADE?

É quando seu corpo naturalmente processa de forma diferente as informações que recebe, ou seja, quando você, em sua natureza interpreta uma situação como um desafio maior do que ele realmente é, ou compreende uma circunstância como mais estressante do que para a maioria das pessoas.

QUAIS TIPOS EXISTEM?

Um dos mais conhecido dentre os transtornos de ansiedade é o pânico. Nele por exemplo, a forma da pessoa perceber o mundo faz com que o corpo dela entenda que uma situação cotidiana, como fazer uma prova na escola, por exemplo, seja vista como uma ameaça com risco real a sua saúde, gerando sintomas desagradáveis como tremor sem estar frio, taquicardia, suor sem estar calor, sensação de um perigo imediato e iminente, quadro esse que pode levar à pessoa a incapacitação, reclusão total e fobia social, já que depois de um tempo, ela começa a ter medo de ter crises em público, e acaba evitando de passar por uma situação que pra ela é percebida como vergonhosa.

Imagine só um adulto produtivo se sentir incapaz como uma criança de 10 anos.

É como se seu cérebro entendesse, (por exemplo) que existe um tiranossauro na sua frente bem naquele momento, e ele reage a altura ativando seu centro de luta ou fuga. Uma enxurrada de adrenalina é liberada no seu organismo, suas veias dilatam pra irrigar mais sangue aos músculos e você ficar pronto pra lutar ou fugir. Só que não tem tiranossauro, aí você acredita que esta pra ter um infarto, um avc ou algo parecido, levando geralmente a um medo de morrer muito intenso.

Além do pânico, o estress pós trauma, o toc e o tag ou transtorno de ansiedade generalizada também são quadros de ansiedade.

O estresse pós trauma acontece quando a pessoa passa por uma situação que gera mais estresse do que ela consegue suportar, e associa aquela situação ao mesmo tipo de perigo do pânico e entende de forma geral, que toda vez que encontrar uma situação daquela passará pelo mesmo estresse, o que faz com que ela sinta o mesmo pavor da primeira vez.

O toc é famoso, aquele em que as pessoas tem mania e limpeza. Mas não é bem assim. No toc, ou transtorno obsessivo compulsivo, como o próprio nome diz, a pessoa tem um pensamento recorrente e angustiante, que é a obsessão do nome, e sente que se não executar um comportamento, algo muito ruim vai acontecer, assim como no pânico, o que gera a compulsão.

Então quem lava as mãos 20x, não faz por que acha que não esta lavando direito, lava pra parar de sentir aquela angustia que sente no peito. Depois que ela executa o ritual dela, a sensação se acalma por um tempo.

No tag, a pessoa tem as mesmas questões que no pânico, mas de forma geral e catastrófica. No pânico existe sempre um foco, um gatilho especifico que desencadeia a crise. No tag, a ansiedade é aplicada negativamente a tudo, podendo chegar usando aqui uma metáfora, a pensar que um avião poderá cair em sua casa.

MAS É POSSÍVEL IMPEDIR QUE ISSO OCORRA?

Todos os casos acima são inatos, o corpo já nasce com aquela pré disposição. Mas é como a diabetes, se ela se cuidar, manter bons hábitos e um estilo de vida saudável, o corpo não sofrerá os gatilhos que geram o problema.

O QUE É POSSÍVEL FAZER PARA IMPEDIR ISSO?

Como eu disse, um estilo de vida saudável como prática de exercícios físicos, nesse caso especialmente a caminhada, uma boa alimentação, não utilizar entorpecentes, mesmo a canabis que muitos associam a figuras da cultura brasileira, em um único uso pode acordar o gene do transtorno e daí pra frente o problema acontece.

Evitar o tabagismo, o álcool, ter mais atividades que façam você querer sair da cama de manhã do que ir dormir mais 5 minutos (risos).

Existe um exercício que eu posso passar ao final do artigo que ajuda a entender isso que estou falando, uma forma de mensurar sua qualidade de vida e saber o que mudar pra melhorar a sua semana.

Mas é importante antes disso tudo manter seu check-up em dia. Muitas vezes problemas orgânicos geram quadros idênticos que na verdade são resultado de um hipo ou hipertireoidismo, um fígado com problemas, uma alteração cardíaca. É normal pacientes que tentam tratar o pânico por exemplo terem na verdade problemas no coração, e não ser pânico, bem como o contrário também é real. Verifique sempre o seu corpo antes de pensar em um transtorno.

FALANDO EM MEDICINA, E OS REMÉDIOS, ELES SÃO SEMPRE NECESSÁRIOS?

Olha, vou coloca minha opinião clínica e que eu sei que é compartilhada com muitos colegas da minha área.

A medicação psiquiátrica causa forte impacto no organismo, então sempre que pudermos evitar o uso dela, e por intermédio da terapia cuidarmos de cada caso, eu dou preferência.

Mas existe a questão da interferência.

Se o quadro do paciente já esta fazendo com que ele não coma, não durma, não consiga sair de casa, trabalhar, estudar, viver em sociedade ou não consiga produzir livremente como deveria ser comum a ele e isso esteja trazendo prejuízo na vida dele, aqui é o momento de certamente entrarmos com a parceria do psiquiatra ou neurologista.

E QUAIS OS MALES QUE A MEDICAÇÃO PODE TRAZER?

Todos remédio é um ser alienígena pra você patentear uma substância, ela não pode existir na natureza.

Dessa forma, as industrias farmacêuticas encontram uma substância na natureza que funcionem para tratar determinada doença e alteram um pedacinho dela pra que possa ser vendida na farmácia.

Percebo aqui 3 lados. Em primeiro, que perdemos o acesso aos fitoterápicos, que muitas vezes seriam o suficiente para tratar a doença que o paciente tem, inclusive em casos psiquiátricos.

Em segundo são os colaterais que por ser algo que não existe na natureza, seu corpo não sabe como reagir, o que pode levar a uma série de reações que não cabe aqui listar por que você encontra em qualquer bula da medicação.

Mas existe um lado positivo nisso, pois por vezes, essa alteração feita potencializa os efeitos da substância sobre o corpo da pessoa e faz com que a recuperação seja muito mais rápida e eficiente.

VOCÊ É A FAVOR DO USO DE MEDICAÇÃO?

Quando necessário, com certeza, muda a vida da pessoa para melhor de forma que todos ao redor, incluindo a pessoa conseguem perceber. Sou contra é o abuso de uma prescrição indiscriminada e passível de ser tratada apenas com psicoterapia.

E QUEM DESCOBRIR QUE É ANSIOSO, O QUE FAZER?

Buscar imediatamente uma avaliação neuropsicológica preferencialmente, para entendermos sintomas, possíveis gatilhos, se é uma questão de tratamento ou apenas uma resposta natural a um momento de forte estresse, e terapia já.

QUANTO TEMPO DEMORA O TRATAMENTO?

Depende de pessoa a pessoa, do grau de interferência que a ansiedade esteja causando na vida da pessoa e no engajamento dela em relação à terapia.

Mas se você me exigir uma previsão, diria que em uma psicoterapia breve, com um caso de ansiedade leve, 3 meses geralmente são o suficiente para a remissão dos sintomas.

E O EXERCÍCIO?

O exercício é um quadro de avaliação das atividades que você pratica no dia a dia. Se estiver tendo mais daquelas atividades que te deixam feliz em sair da cama, ou seja, que te traga algum tipo de prazer, sua qualidade de vida estará boa. Do contrário, cada um a seu tempo, o organismo não suportará o estresse causado pela rotina e desenvolverá algum tipo de dificuldade.

 

GOSTO E FAÇO

Chamo esse exercício de gosto e faço, pois é o propósito dele, indicar ao paciente executar mais atividades que gerem prazer, que sejam terapêuticos, do que estressores.

Preencha cada campo com as atividades que como os próprios títulos dizem, você goste e faça, você goste e não faça, você não goste e faça, e por fim, que você não goste e não faça. É um exercício de autogerenciamento.

Descubra se você é ansioso e o que fazer com isso

Ao final, o objetivo é levar o que for possível do quadro gosto e não faço para o gosto e faço. Depois levar o que for possível do não gosto e faço para o não gosto e não faço.

 

Descubra se você é ansioso e o que fazer com isso

 

Descubra se você é ansioso e o que fazer com isso

Fique tranquilo se você travar diante dessa atividade. É natural pois não estamos acostumados a avaliar nosso comportamento no dia a dia.

Quanto mais itens você conseguir preencher melhor será pra o seu autogerenciamento.

 

Por Bruno Moraes Freire de Souza

Neuropsicólogo

CRP 06/119065

TRATAMENTO PARA ANSIEDADE EM MOGI DAS CRUZES

Aqui você recebe atendimento psicológico referência em Mogi das Cruzes para crianças, jovens e adultos. Ligue agora ou envie um Whatsapp pelo (11) 9.57872812 (TIM).

*As informações aqui contidas tem caráter informativo. Não substituem a orientação ou acompanhamento de um psicólogo.

Open chat
Estou online