skip to Main Content
Burnout Também Pode Afetar Mães E Pais Na Criação Dos Filhos

Burnout também pode afetar mães e pais na criação dos filhos

Talvez você já tenha ouvido falar na Síndrome de Burnout. Trata-se de uma doença classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como um estado de esgotamento físico, emocional e mental, normalmente em razão do acúmulo de trabalho. No entanto, o que muita gente não sabe é que também existe a chamada “Síndrome de Burnout Parental”, que é relativamente nova e intensificou-se agora na pandemia.

Principalmente pelo fato de que a maioria das pessoas começou a trabalhar de home office, tornou-se muito comum a ocorrência dessa síndrome. Vale lembrar que quando falamos apenas de Síndrome de Burnout estamos associando única e exclusivamente ao fator profissional, no entanto, ao levar o trabalho para casa, automaticamente você vai levar o estresse para dentro de casa também. Assim, somando isso à criação dos filhos, à quebra de rotina na vida de todos, ao medo de ser infectado pelo vírus, à ansiedade causada pelas incertezas do futuro, e todos esses elementos, acabam potencializado não apenas a Síndrome de Burnout Parental, mas inúmeros transtornos mentais.

O que é a Síndrome de Burnout Parental?

Burnout também pode afetar mães e pais na criação dos filhos - O que é?

A Síndrome de Burnout Parental é uma classificação relativamente nova, e o cenário pandêmico, marcado por grande tensão, acúmulo de trabalho e conflitos dentro de casa, intensificou o surgimento desse e de diversos outros transtornos mentais — como ansiedade e depressão.

Os pais acabam acumulando os afazeres profissionais, os afazeres domésticos e, ainda, a criação dos filhos. Então, vira um emaranhado de dificuldades, de situações que vão desencadear um estresse muito grande. E isso vai acabar se transformando na síndrome, que é definida basicamente como um esgotamento mental, físico e emocional, por conta do acúmulo.

Sintomas

Mas afinal, como identificar um possível quadro de Síndrome de Burnout Parental? É possível notar alguns sinais de alerta, como:

  • Estresse;
  • Cansaço;
  • Irritabilidade;
  • Falta de humor;
  • Sensação de exaustão.

Além disso, notamos também dores no corpo, nervosismo, ansiedade, desânimo, insônia, falta de apetite e desgaste emocional. Em alguns casos pode afetar também a vida sexual do casal. É muito importante procurar um profissional quando esses sintomas começarem a aparecer!

Mulheres tendem a ser mais afetadas

A pressão da sociedade, que recai principalmente sobre a necessidade de perfeição entre as mulheres, que precisam dar conta do trabalho, da casa e dos filhos, também exerce influência nesse esgotamento.

Existe também a questão da cultura machista, que é inegável e persistente, e essa pressão por “tudo perfeito” influencia sim. As mulheres deveriam começar a dialogar com a retórica de que “não existe perfeição”, isso vai ajudar muito no sentido de diminuir esse estresse, e de que ela possa se organizar e ter menor suscetibilidade a desencadear a Síndrome de Burnout Parental.

Essa cobrança de que a mulher deveria “fazer tudo e mais um pouco” sequer deveria existir. Principalmente em um mundo pós-pandemia, não podemos nos pautar pela cobrança, mas sim pela tolerância e compreensão.

Quais estratégias podem ser adotadas para evitar esse quadro?

Se você chegou até o final dessa matéria, e se identificou com ela, talvez agora possa estar se perguntando: Mas e aí? O que eu faço? Quais estratégias podem ser adotadas para evitar esse quadro?

Aprenda a dividir as tarefas

Em primeiro lugar, é importante estabelecer uma organização pessoal. Segundo, a pessoa tem que compreender que ela não pode dar conta de tudo sozinha, então uma divisão de tarefas com o (a) companheiro (a) é muito importante!

A divisão de tarefas pode parecer um assunto complicado de se abordar no começo, mas é fundamental para que ninguém fique sobrecarregado. E para evitar que este desgaste atinja o seu casamento, é importante apostar em uma divisão de tarefas domésticas igualitária, em que ambos tenham igual carga de trabalho. Dessa forma, sobra mais tempo para você aproveitar numa boa com o seu amor.

Tenha um tempo para você

Além disso, dedicar um tempo para suas próprias atividades, que te proporcionem prazer e descaso, também é muito importante.

Estabelecer pequenos intervalos entre uma atividade e outra para que o esgotamento não seja mais contundente, valorizar cada tarefa realizada e ter uma gratificação no final do dia, para que o estresse de hoje não seja acumulado com o estresse de amanhã, são boas estratégias para contornar a Síndrome de Burnout Parental.

Abrir mão do perfeccionismo, além de ter uma clara noção dos nossos limites, também é fundamental. Estabelecer metas e horários e também responsabilizar e delegar certas responsabilidades para as crianças, segundo a idade de cada uma, para terem mais autonomia.

 

Fonte: Seleções.com

 

ATENDIMENTO PSICOLÓGICO E NEUROPSICOLÓGICO PRESENCIAL E ONLINE

Aqui você recebe atendimento psicológico referência para crianças, jovens e adultos. Clique aqui para agendar via Whatsapp ou ligue no (11) 9.5787-2812 (TIM).

*As informações aqui contidas tem caráter informativo. Não substituem a orientação ou acompanhamento de um psicólogo.

Dr. Bruno Moraes

O psicólogo Bruno Moraes atua a mais de 7 anos no atendimento presencial e online de crianças, jovens e adultos. Trabalha com abordagem TCC, ou Cognitivo Comportamental e é pós-graduado em Neuropsicologia pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

Você atualmente, atua ou mente?

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Estou online