skip to Main Content
Alimentos Que Pioram O TDAH – O Que Evitar

Alimentos Que Pioram O TDAH – O Que Evitar

Existem alguns Alimentos que Pioram o TDAH. Veja neste artigo quais alimentos Devemos Evitar para Viver Melhor com o Transtorno.

Alimentos que Pioram o TDAH – O que Devemos Evitar com o Transtorno:Alimentos que Pioram o TDAH – O que Devemos Evitar para Viver Melhor com o Transtorno: O TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade é uma síndrome que afeta intensamente a rotina de qualquer paciente, principalmente quando são crianças, uma vez que há a dificuldade de obtenção de sucesso nos estudos e em sua vida social. Elas podem enfrentar problemas para se concentrar nas lições ou terminar os trabalhos de casa por exemplo.

Essa Dificuldade tende a permanecer no Adulto, abrangendo as novas tarefas e Responsabilidades da idade em que ele se encontra. Estima-se que mais de 07% (sete) das crianças e 04% (quatro) a 06% (seis) dos Adultos têm Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH.

O TDAH é um Distúrbio do Desenvolvimento Neurológico sem Cura Conhecida.
Por isso, qualquer tratamento caseiro ou medicinal, pode fazer a diferença na Rotina de um Paciente.

Saiba mais sobre o assunto com em nossos artigos clicando aqui para adultos, ou aqui para TDAH em crianças.

Alimentos que Pioram o TDAH

Mas o que é TDAH?

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Ele é chamado às vezes de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). Em inglês, também é chamado de ADD, ADHD ou de AD/HD.

Assim como as crianças, os pacientes Adultos também precisam minimizar os Sintomas do TDAH para conseguir viver com eles. Na fase adulta, esses sintomas afetar uma maior gama de áreas, como relacionamentos e locais de trabalho.

Ter Relacionamentos Bem-Sucedidos e carreiras satisfatórias, focar e finalizar projetos é necessário e esperado no trabalho. Coisas como esquecimento, inquietação excessiva, dificuldade em prestar atenção e pouca habilidade auditiva são alguns dos sintomas de TDAH que podem tornar desafiadores os projetos de finalização e prejudicar o ambiente de trabalho de quem tem o transtorno.

Alimentos Para Evitar e Melhorar os Sintomas de TDAH

Algumas abordagens tradicionais de gerenciamento de sintomas como evitar certos alimentos pode ser benéfico para o dia a dia dos portadores de TDAH. Apesar da patologia seguir sem cura, existem algumas conexões interessantes entre os comportamentos de TDAH e certos alimentos que indicam que manter uma Dieta Saudável e Equilibrada é importante. É possível também que, ao evitar certos alimentos se note uma amenização dos sintomas de TDAH.

Alimentos que pioram o TDAH

Químicos – Corantes Alimentares e Hiperatividade

Alguns pesquisadores descobriram que pode haver uma ligação entre Corantes Alimentares e Hiperatividade. O estudo ainda está sendo realizado, mas neste momento, alguns alimentos já se encontram na lista.

Um deles são os corantes artificiais coloridos, que estão presente em produtos como:

  • Pasta de Dentes;
  • Vitaminas;
  • Bebidas Esportivas como Isotônicos;
  • Doces;
  • Cereais com Sabor de Frutas;
  • Molho de Churrasco;
  • Frutas Enlatadas;
  • Lanches de Frutas;
  • Pós de Gelatina;
  • Misturas para Bolos.

Corantes e Conservantes

Em dos procedimentos da pesquisa, foi combinar corantes alimentares sintéticos com o conservante benzoato de sódio, a partir disso, foi constatado um aumento no sintoma de hiperatividade. Esse componente pode ser encontrado em bebidas carbonatadas, molhos para salada e condimentos.

Açúcares Simples e Adoçantes Artificiais

O açúcar ainda não foi confirmado como um fator desencadeante dos sintomas da hiperatividade. Mesmo assim, limitar o açúcar na dieta de sua família faz sentido em termos de saúde no geral. Procure qualquer tipo de açúcar ou xarope nos rótulos dos alimentos para consumir menos açúcares simples.

Salicilatos

Esta é uma substância natural abundante em maçãs vermelhas e outros alimentos saudáveis, como amêndoas, cranberries, uvas e tomates. Salicilatos também são encontrados na aspirina e em outros medicamentos para a dor. Essa substância piora os sintomas daqueles que são alérgicas a ela.

Alérgenos

Como os salicilatos, os alérgenos podem ser encontrados em alimentos saudáveis. Mas eles podem afetar as funções cerebrais e desencadear hiperatividade ou desatenção se o seu corpo for sensível a eles. Talvez seja benéfico considerar cortar este tipo de alimento – um de cada vez – os oito principais alérgenos alimentares:

  • Trigo;
  • Leite;
  • Amendoim;
  • Nozes;
  • Ovos;
  • Soja;
  • Peixe;
  • Marisco.

Ácidos Graxos Ômega 3

Os Ácidos Graxos Essenciais alimentam o funcionamento básico das células, melhoram a imunidade geral e melhoram a Saúde do Coração.

Por definição, o corpo não pode produzir ácidos graxos essenciais, portanto esses nutrientes devem ser consumidos na dieta. Um grupo, os ácidos graxos ômega-3

Ácido Eicosapentaenóico [EPA],
Ácido Docosahexaenóico [DHA] e
Ácido Alfa-Linolênico [ALA]),
é obtido a partir de salmão, atum e outros peixes de água fria, bem como de algumas sementes e óleos. O outro grupo, os ácidos graxos ômega-6 (especialmente o ácido linoléico), é obtido principalmente a partir de óleos vegetais.
Embora um equilíbrio de ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 seja melhor para a saúde geral, a dieta americana típica contém muito ômega-3, geralmente na proporção de um a 10 ou menos com gorduras ômega-6. Os pesquisadores exploraram se uma deficiência de gorduras ômega-3 pode contribuir para os sintomas do TDAH, porque esses ácidos graxos desempenham uma série de funções no cérebro, como afetar a transmissão dos neurotransmissores dopamina e serotonina e ajudar as células cerebrais a se comunicarem. O TDAH e a deficiência de ômega-3 também compartilham dois sintomas: excesso de sede e aumento da necessidade de urinar. Algumas evidências sugerem que crianças com TDAH podem ter baixos níveis de ácidos graxos essenciais.

Apenas alguns estudos controlados randomizados avaliaram suplementos de ômega-3 para crianças com TDAH. Uma revisão do subcomitê de ácidos graxos ômega-3 da Associação Americana de Psiquiatria incluiu dois estudos controlados por placebo que descobriram que apenas os suplementos de DHA eram ineficazes para aliviar os sintomas do TDAH, e outros três que concluíram a combinação de suplementos de ômega-3 e ômega-6 podem ajudar. Mas, devido à maneira como os estudos foram elaborados, foi difícil determinar o benefício específico dos suplementos de ômega-3.

Embora outros estudos tenham sido publicados desde a revisão da APA, nenhum deles resolveu a questão de saber se os suplementos de ômega-3 ou ômega-6 podem ajudar crianças com TDAH. Vários ensaios clínicos estão em andamento e podem fornecer essas respostas no futuro.

Enquanto isso, as recomendações do subcomitê da APA são um guia útil: incentive as crianças com TDAH a consumir níveis de ácidos graxos ômega-3 recomendados como parte de uma dieta saudável. Para as crianças, isso significa consumir até 12 onças (duas refeições médias) por semana de uma variedade de peixes e mariscos com baixo teor de mercúrio, como camarão, atum light enlatado, salmão e escamudo, juntamente com fontes vegetais diárias de fontes não saturadas gorduras.

Micronutrientes

Deficiências de determinadas vitaminas ou minerais – como zinco, ferro, magnésio e vitamina B 6 – foram documentadas em crianças com TDAH. Mas os resultados de testes que testam se a suplementação com vitaminas ou minerais alivia os sintomas do TDAH são inconsistentes.

Embora suplementos vitamínicos ou minerais possam ajudar crianças diagnosticadas com deficiências específicas, não há evidências de que sejam úteis para todas as crianças com TDAH. Além disso, megadases de vitaminas, que podem ser tóxicas, devem ser evitadas.

O que os Pais Devem Fazer?

Uma dieta ou suplemento alimentar que diminua os sintomas do TDAH seria uma benção para quem vive com esse distúrbio perturbador. Até agora, porém, as evidências fornecem apenas suporte limitado a dietas restritivas, evitando conservantes ou corantes artificiais, consumindo mais gorduras ômega-3 ou tomando vitaminas ou minerais específicos.

Por enquanto, o consenso sobre uma abordagem sensata à nutrição de Crianças com TDAH é o mesmo recomendado para todas as crianças: coma uma dieta que enfatize frutas e vegetais, grãos integrais, gorduras insaturadas saudáveis ​​e boas fontes de proteína; vá devagar com gorduras saturadas e trans não saudáveis, carboidratos rapidamente digeridos e fast food; e equilibrar uma alimentação saudável com muita atividade física.

Uma dieta saudável pode reduzir os sintomas do TDAH, reduzindo a exposição a cores e aditivos artificiais e melhorando a ingestão de gorduras ômega-3 e micronutrientes. Mas certamente irá melhorar a saúde e a nutrição em geral e preparar o cenário para uma vida de boa saúde.

 

Fonte: ABCTudo

 

Referências:

Freeman MP, et al. “Ácidos graxos ômega-3: base de evidências para tratamento e pesquisas futuras em psiquiatria”, Journal of Clinical Psychiatry (dezembro de 2006): vol. 67, n ° 12, pp. 1954–67.
McCann D, et al. “Aditivos alimentares e comportamento hiperativo em crianças de 3 e 8 anos de idade na comunidade: um estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo”, Lancet (3 de novembro de 2007): vol. 370, n ° 9598, pp. 1560–67.
Schab DW, et al. “As cores artificiais dos alimentos promovem hiperatividade em crianças com síndromes hiperativas? Uma metanálise de ensaios controlados por placebo cego duplo”, ” Journal of Developmental and Behavioral Pediatrics” (dezembro de 2004): vol. 25, nº 6, pp. 423–34.
Weber W. et ai. “Terapias médicas complementares e alternativas para transtorno de déficit de atenção / hiperatividade e autismo”, Clínicas Pediátricas da América do Norte (dezembro de 2007): vol. 54, n. 6: pp. 983–1006.

 

ATENDIMENTO PSICOLÓGICO E NEUROPSICOLÓGICO PRESENCIAL E ONLINE

Aqui você recebe atendimento psicológico referência em Mogi das Cruzes para crianças, jovens e adultos. Clique aqui para agendar via Whatsapp ou ligue no (11) 9.5787-2812 (TIM).

*As informações aqui contidas tem caráter informativo. Não substituem a orientação ou acompanhamento de um psicólogo.

Dr. Bruno Moraes

Pós Graduado em Neuropsicologia pela FMUSP.

Você atualmente, atua ou mente?

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Estou online